Sobre o grudis

O grudis, também conhecido por Rede Portuguesa de Investigação em Contabilidade, é uma comunidade de investigadores na área da Contabilidade.[1] Criado em 2001, o grudis tem como missãocontribuir para o desenvolvimento da comunidade portuguesa de investigadores em Contabilidade, orientado por padrões internacionais de qualidade“. Neste sentido, o grudis promove a produção científica, a discussão de questões e de trabalhos na área da Contabilidade, e atua como um elo de ligação entre investigadores. A sua visão consiste em “congregar a comunidade portuguesa de investigadores em Contabilidade, dinamizar um espaço de discussão e elevar a notoriedade e estatuto desta área de investigação em Portugal”.

Atualmente, o grudis conta com mais de 200 membros, pertencentes a universidades e institutos em números aproximamente iguais (inclui ainda uma fração mínima de membros em empresas e sem afiliação académica). Alguns membros desempenham o papel de Embaixadores grudis nas instituições de ensino em que estão afiliados.

A gestão do grudis é efetuada pela designada Equipa de Coordenação do grudis (ou simplesmente Coordenação). Esta foi fundada oficialmente em 2007 e substituiu o “Grupo de Reflexão Estratégica” criado quatro anos antes. A Coordenação tem como responsabilidade a gestão corrente do grupo e a tomada de decisões do foro estratégico e funciona num regime 5 + 2 + 1. Conta com cinco membros permanentes, aos quais foram atribuídas áreas de responsabilidades definidas de acordo com as necessidades identificadas e com dois líderes da organização local das conferências grudis (o da última conferência realizada e o da próxima conferência a realizar), em reconhecimento da importância estratégica dos mesmos. A Coordenação conta ainda com um membro associado que, pela sua condição de membro-fundador do grudis, dá o seu contributo sempre que solicitado ou tido por pertinente. Não são atribuídos títulos aos membros da Coordenação, apenas áreas de responsabilidade. Atualmente, a Coordenação conta com seis áreas de responsabilidade, tendo um coordenador principal e um ou mais coordenadores associados. Os membros e áreas de responsabilidade são, desde Julho de 2017, as seguintes:

 

O processo interno de tomada de decisão é coletivo, sendo as decisões tomadas por maioria e frequentemente por unanimidade. Sempre que necessário, a Coordenação ausculta a comunidade grudis antes da tomada de decisão. A Coordenação funciona de forma orgânica, tomando decisões e assegurando que o grudis se mantenha fiel aos seus princípios, valores e diretrizes estratégicas definidas. Os valores seguintes definem a essência do grudis e, consequentemente, regem a atuação da Coordenação:

  • Promovemos a partilha de informação, conhecimento e experiências.
  • Fomentamos a qualidade na investigação e nas nossas iniciativas.
  • Valorizamos a colaboração entre pares.
  • Demonstramos dinamismo.
  • Privilegiamos a informalidade e a simplicidade.
  • Agimos com integridade e ética.

A estrutura orgância do grudis inclui ainda o grudis advisory board, um orgão consultivo de carácter estratégico de suporte à Equipa de Coordenação. Este orgão aconselha e emite pareceres para a Coordenação e é constituído por oito figuras incontornáveis no domínio da investigação na nossa área do conhecimento em Portugal:

  • Hernâni Carqueja (Universidade do Porto)
  • José Moreira (Universidade do Porto)
  • Lúcia Lima Rodrigues (Universidade do Minho)
  • Maria João Major (Universidade Nova de Lisboa)
  • Ana Maria Rodrigues (Universidade de Coimbra)
  • Paulo Alves (Universidade Católica Portuguesa)
  • Rui Vieira (IE Business School)
  • Teresa Eugénio (Instituto Politécnico de Leiria)

[1] A designação grudis advém da ideia original de criar um grupo de discussão (grudis) de contabilidade.